domingo, 6 de maio de 2018

É campeãoooo: Barcelona conquista o título em disputa de pênaltis contra o PSV em Pontal


O time do Barcelona venceu o campeonato ontem  (05/05) em Pontal após disputa nos pênaltis contra o time PSV, na grande final. Após  o empate em zero a zero no tempo normal, a definição do campeão veio através das cobranças de pênaltis deixando jogadores e torcedores ainda mais tensos.
O Barcelona é um time relativamente novo, mas reúne em seu elenco vários jogadores experientes  que foram fundamentais para avançar em cada etapa do campeonato.

Barcelona, o grande campeão 

Para Erlande Pereira, um dos dirigentes do time, o Barcelona teve uma brilhante atuação ao longo do campeonato, tanto que foi campeão invicto, ou seja, nao perdeu nenhuma partida até chegar a final e o engajamento de todos foi fundamental para alcançar o objetivo principal. "Só tenho a agradecer a Deus e parabenizar a todos os jogadores,  comissão  técnica e agradecer também  o apoio dos nossos patrocinadores além de agradecer todos aqueles que torceram por nós" disse Erlande Pereira em entrevista ao blog. 

Erlande comemora com jogadores

O prefeito de Bequimão, Zé Martins  (MDB), também estava prestigiando a final do campeonato. Vale ressaltar que em sua gestão é realizada a  Copa Quilombola,  realizada com times oriundos de comunidades quilombolas de Bequimão,  uma importante ação de apoio e incentivo ao esporte.

Erlande Pereira e o prefeito Zé Martins.  

Agora, o Barcelona deverá retomar em breve sua agenda de treinos para disputar os campeonatos sempre com a mesma garra e disposição. A titular deste blog parabeniza a todos pela vitória. #SomosTodosCampeões. 


terça-feira, 9 de janeiro de 2018

SUCESSO TOTAL: 10ª Confraternização dos Bequimaoenses em São Luís bate recorde de público.

A tradicional  Confraternização dos Bequimaoenses em São Luís teve sua décima edição no último domingo dia 07. Como era esperado,  os bequimaoenses e irmãos baixadeiros e do Litoral Ocidental prestigiaram o evento organizado por Chiquinho da AMIBEQ PRODUÇÕES.
Logo no início, quem compareceu pela primeira vez à festa foi a Família Santos. A Presidente  do FDBM, Ana Creusa Santos (que é natural de Peri Mirim) esteve la com grande parte de sua família.
Durante a tarde teve muito churrasco para a galera e a animação que estava por conta da radiola Dart Som não deixou a desejar em nenhum momento. Todos dançaram e se divertiram, relembrando as festas do interior.
Selfie da Família Santos

A  noite, o DJ Jorge Black fez a galera se animar ainda mais, trazendo em seu repertório reggaes roots de qualidade e agitando o  público que lá estava. O vice prefeito de Bequimão, Sidney (Magal) e o deputado estadual Zé Inácio que também é bequimãoense também estiveram por lá.  A décima edição dessa festa que é considerada como a maior que reúne pessoas da Baixada e do Litoral Ocidental foi sucesso total, podem até tentar copiar, mas fazer igual, ninguém consegue!

                        O DJ Jorge Black agitando a galera
                               
AMIBEQ PRODUÇÕES , Chiquinho Life, Luisinho e Alan agradecem a todos os que se fizeram presente nesse grandioso evento e a todos os parceiros e patrocinadores. Ano que vem tem mais, com a Graça de Deus!!

sábado, 6 de janeiro de 2018

O dia de Reis e a tradição dos versinhos em Buritizeira - Bequimão.


     
  O dia de Reis é celebrado no dia 06 de Janeiro e faz parte da tradição católica, é o dia em que os três Reis Magos teriam visitado o menino Jesus e levado presentes, pois já sabiam que Ele era o Messias. É hoje também que tradicionalmente desmontam-se os presépios e retiram-se os enfeites natalinos de casa. Em Natal - capital do Rio Grande do Norte - é feriado municipal, inclusive um dos pontos turísticos da cidade é o Forte dos Reis Magos, uma edificação militar histórica que começou a ser construída exatamente no dia 06 de Janeiro, daí a origem do nome do Forte.
      Em vários lugares do Brasil hoje há comemorações, com a Festa de Reis ou Reisado. No interior de Bequimão no povoado Buritizeira,  também havia uma espécie de comemoração, porém de características bem diferentes dessas que existem hoje.
     A tradição entre o mais jovens,  consistia em enviar bilhetinhos uns aos outros em formas de versos para pedir presentinhos. Por conta da pobreza extrema que era comum no século XX no interior do Estado (e ainda hoje há pobreza extrema em vários municípios do MA), os presentes eram os mais simples possíveis. Esmaltes, perfumes, sabonetes, pentes, tudo era pedido em forma de versos, que lembra a tradição sertaneja do cordel, muito comum no Nordeste brasileiro. A criatividade dos jovens para escrever os versos era tamanha que até os que não era bons de rimas conseguiam seus presentes, rimando das maneiras mais engraçadas possíveis. Caso alguém não soubesse escrever, recorria a quem sabia e ditava os versos.
      Vale ressaltar que, quem enviava bilhete também recebia alguns pedidos, portanto, essas pessoas passavam a semana inteira quebrando coco babaçu para poder ter renda suficiente e comprar aquilos que lhes fora pedido. Era uma missão e tanto! Mas, todos participavam e ficavam felizes pela troca dos pequenos presentes, que já ficavam guardados para serem usados a partir do dia 11 de Janeiro, dia de levantamento de mastro do tradicional festejo de São Sebastião.
     Não sei dizer ao certo como esta tradição chegou até Buritizeira e se existia ou se ainda existe em outros lugares, o fato é que hoje não existe mais por lá e ficaram apenas as lembranças de quem participou. Minha mãe e meu tios participavam e gostavam, dessa troca de presentes que lembra que os Reis Magos levaram presentes a Jesus.
      Pedi ajuda aos meus familiares para que me enviasse alguns versinhos, que vou transcrever abaixo:
                         
Escrevo este reis
Olhando para o mato
Espero da sua mão
Um vidro de esmalte”   

“Escrevo este reis
Olhando para o chão
Espero da sua mão
Um vidro de loção”
“Escrevo este reis
Com carinho e amor
Espero da sua mão
Um sabonete Senador





Portanto, nobres leitores, esta era a tradição do dia de Reis em Buritizeira - Bequimão, no século XX.

Perfume Charisma e sabonete Senador ainda são muito usados no interior.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

"Já que tá dentro, deixa!"


     Os rios sempre tiveram grande importância para o desenvolvimento das mais antigas civilizações. Temos vários exemplos, como o Nilo, no Egito, e o Eufrates e o Tigre, na antiga Mesopotâmia. Além de servir para abastecimento, ser fonte de alimentos, servia também para irrigação dos produtos agrícolas, além de ser também muito usado para o deslocamento, pelo fato de quase não existir estradas naquela época.

     O cantor e compositor Luiz Gonzaga até tem uma música que diz: "Riacho do Navio corre pro Pajeú, o rio Pajeú vai despejar no São Francisco,  o rio São Francisco
vai bater no 'mei' do mar", destacando que os menores vão desaguando nos maiores até chegar no destino final que é o mar e portanto todos tem sua importância no mundo.

      No interior, temos alguns riachos e pequenos rios, alguns riachos chamamos de grutas, que sempre têm lugares mais fundos que chamamos de "pução", corruptela de poção. Quando o nível da água vai baixando, os peixes correm para o pução onde a água fica represada. Para facilitar a pesca, as pessoas costumam tirar água com cuias até que seja possível pescar os peixes que ali se encontram.  Essa prática que era muito comum no século passado, conhecida como "secar pução" era praticada por homens ou mulheres, em busca de alimentos para si e para seus filhos. 

    A pequena narrativa de hoje se passa num cenário desse: um pução, e uma mulher jogando água fora, em meio a mata, sozinha. 

Imagem ilustrativa. Atriz Juliana Paes interpretando 'Gabriela'.

      Ocorre que, ela estava de saia e sem calcinha, (coisa também muito comum na época) de cabeça baixa e com o quadril lá em cima. Um homem que vinha andando, ao avistar aquela cena, sentiu profundo desejo e sorrateiramente - pé ante pé - se posicionou e, segundo contam, teria se encaixado por trás da mulher numa cópula insana em meio ao matagal. 
      Ainda segundo contam, ao virar-se para trás para ver quem era o homem que ousava lhe tocar e o reconhecendo, a mulher teria dito: "já que tá dentro, deixa", permitindo que de fato fosse consumado o ato.O homem que tinha fama de bem dotado e sendo um garanhão na época, não titubeou e 'mandou brasa'.
     Se fruto dos fuxicos fantasiosos da época ou se foi verdade mesmo, não sei dizer, mas é certo que eles tiveram um caso, pois  09 meses depois, viu-se o resultado: nasceu um menino, que inclusive dizem ser meu parente um pouco distante...

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

10ª Confraternização dos Bequimãoenses em São Luís acontecerá no dia 07/01 no Marujo.


       
As confraternizações de fim de ano já fazem parte do calendário das mais diversas instituições no Brasil. É um momento de descontração e  também, nas empresas, momento de reconhecimento por aqueles que se destacaram ao longo do ano. Como os leitores puderam notar na minha última postagem, na narrativa intitulada "Quem roubou o santo?" falei da forte tradição do festejo de São Sebastião, muito presente nos povoados de Bequimão bem como na maioria dos municípios da Baixada e Litoral Ocidental do Maranhão. 
      É costume das pessoas que se deslocaram de seus locais de origem para a capital maranhense, viajar em Janeiro para rever os familiares e amigos e aproveitar o festejo, no entanto, algumas pessoas não podem viajar por conta do emprego, já que não conseguem férias para esse período.
    Foi pensando nessas pessoas que Chiquinho, natural do povoado Buritizeira em Bequimão, idealizou a Confraternização dos Bequimãoenses em São Luís. A ideia surgiu durante o natal de 2007 e assim, ele imaginou o quão bom seria para as pessoas que não podiam viajar ter a oportunidade de reencontrar seus conterrâneos. Dessa forma, ele instituiu o primeiro domingo do mês de Janeiro para a realização da festa.  Em 2008 não foi possível concretizar a ideia, mas em 2009, na FETIEMA no bairro Apicum, ocorreu a primeira confraternização com sonorização da radiola Ajax Som e churrasco gratuito. A festa foi um sucesso e muito elogiada por todos que ali estiveram.

Luisinho, Nonato e Chiquinho, Fetiema, 2009.

     Já em 2010, a festa aconteceu no antigo cassino maranhense, onde atualmente está localizada a sede principal do Viva.
Chiquinho, 2010.

    Em 2011, a festa também mudou de endereço e foi realizada na ASFEM, no bairro Filipinho, sempre rendendo um bom número de participantes dos mais diversos povoados de Bequimão de outras cidades. Pessoas que moram no interior começaram a vir para São Luís para também participar da  festa.
      No ano de 2012 e 2013, a Confrarternização do Bequimãoenses em São Luís ocorreu no clube dos oficiais, com cada vez mais pessoas participando do evento. Em 2014 a festa foi em uma chácara, sempre contando com churrasco e feijoada oferecido para os bequimãoenses.
      Em 2015, 2016 e 2017 a festa tem ocorrido no Marujo, próximo ao aterro do Bacanga. Com proporções bem diferentes,  é hoje o maior evento em São Luís que reúne Bequimãoenses e amigos de municípios da Baixada e do Litoral Ocidental maranhense. 


Os bequimãoenses na festa em 2016, no Marujo.

 Com muita dedicação, Chiquinho se esforça para sempre  trazer uma radiola do próprio município, em 2018, na décima confraternização é a DART SOM quem irá fazer a galera dançar e se divertir. Abaixo, um convite aos nobre leitores. Espero todos vocês lá!!!






Chiquinho Life  (Francisco Filho) é Natural de Buritizeira, pequeno povoado de Bequimão. Além de idealizador da Confraternização dos Bequimãoenses, é criador da marca AMIBEQ - Amigos de Bequimão - responsável pela organização da festa. Também já fez o festejo de São Sebastião em Centrinho além de participar da organização e produção de outras festas na região. Chiquinho é tio de Jarinha Pereira, a titular deste blog. 

terça-feira, 28 de novembro de 2017

QUEM ROUBOU O SANTO? O rapto da imagem de São Sebastião.

                                   Cadê o santo que estava aqui?

O ano era 2011 e estávamos em um janeiro bem chuvoso. O festejo de São Sebastião quebrava o clima melancólico que se formava por causa do mau tempo. Naquele ano, a festa do dia 19 a 21 no Centrinho -  povoado próximo a Buritizeira, onde mora grande parte da minha família – era de Dona Gracinha, sobrinha de meu avô. No ano seguinte, a missão de dar continuidade à tradição estava sob responsabilidade da minha família, e já estávamos ansiosos desde então.

Eu, cortando as folhas que ficam sob o bolo de tapioca. 2012.

Como manda a tradição, no dia 20 à tarde, fomos receber a festa. É um pequeno ritual – e não associe a palavra ritual a feitiço, por favor. Ritual é aquilo que segue uma determinada sequência, um rito, uma cerimônia. Um batizado é um ritual, uma missa é um ritual, um casamento é um ritual. Instruídos por Sebastião de Nezica, o rezador das novenas, ficamos próximos a festa, onde os fogos de artifício (foguetes) ensurdeciam aos transeuntes, a radiola deixou de tocar as músicas “dançantes” para tocar a valsa que faz parte de todo o processo. A dona da festa, nesse caso, deve ir até a capela, pegar a imagem do santo e vir nos encontrar, para assim, simbolizar a entrega da festa oficialmente. Para a nossa surpresa, a imagem menor havia sumido. Alguém havia "roubado o santo".

Calma, querido leitor. Não se tratava de caso de polícia e ninguém seria enquadrado no artigo 155 do código penal. Uma das tradições do festejo inclui “roubar o santo”. É muito simples: sorrateiramente, subtrai-se a imagem de dentro da capela e leva-se para casa, onde paga-se promessas ou renova-se os votos de fé e devoção. Para a devolução, o “ladrão” vem em procissão, com amigos e familiares soltando foguetes, muitos foguetes, para anunciar que está chegando. Ao ouvir o som dos fogos, o dono da festa reúne mesas ao pé do mastro, e coloca cervejas, refrigerantes, bolo de tapioca (esse não falta nas festas) e tira-gosto. A valsa na radiola anuncia que estão chegando os responsáveis pelo sumiço do santo. Em 2015, junto com meu irmão Erlande e minha tia Cleonice, ajudei meu primo Ediarlen a roubar o santo no Centrinho, fizemos um rapto incrível, pois ele estava pagando uma promessa.

Erlande Pereira, com a imagem de São Sebastião após nosso "roubo". 2015.

Explicado como é o roubo, voltemos a narrativa. Pois bem, naquele ano, alguém roubou o santo e não devolveu, ou seja, não seguiu o ritual da devolução. Gracinha veio “entregar a festa” com a imagem maior, e eu quem recebi. Caracas, como pesava! A tradição manda dar três voltas ao redor do mastro, na segunda volta meu braço já estava adormecido. Finalizada a terceira volta, meu braço estava completamente dormente. “Recebida a festa”, após o ritual religioso, seguimos para a parte profana. Embalados ao som das pedras da radiola Tornado, dançamos até debaixo da forte chuva. O Dj Frank atendia ao nosso pedido e nós fizemos a festa naquele dia.

Todos ainda tinham esperança da imagem pequena de São Sebastião aparecer, mas naquele ano de 2011, ela não apareceu e nunca se soube do seu paradeiro. Até mesmo Sebastião de Nezica, experiente com essas ações, não foi bem sucedido em sua investigação. O ano transcorreu e finalmente chegou 2012, o ano de nossa festa. Minha família (pai, mãe, irmãos) estavam muito envolvidos (e claro, eu também), os tios e primos - alguns mais, outros menos - enfim, todo mundo. A festa era nossa e passamos o ano todo nos preparando para fazer uma festa bonita e grandiosa, e por fim, conseguimos. Não compramos outra imagem, todos os rituais seriam feitos com a imagem maior e pronto.

Mas... não esperávamos por uma notícia: Marigilson, do povoado Deserto (localizado próximo ao local do festejo), mandou dizer que deveríamos buscá-lo sob o som de foguetes. Prevendo o que se tratava, pegamos o máximo de caixas de fogos que pudemos encontrar e partimos na tarde do dia 20 para lá. Para nossa surpresa, um ano depois, encontramos o raptor da imagem do ano anterior. Havia muita gente na casa dele. Em tempo: Ele “roubou” o santo, e foi para o Pará, onde mora atualmente e o rapto foi para pagar promessa. (Eu não tenho certeza, mas acho que o santo também foi para o Pará)

Foguetes, muito foguetes. O som era ensurdecedor. Alegria, euforia e eu ajudava a dar alguns comandos; quando chegamos, havia umas 4 mesas ao pé do mastro, mais de uma dúzia de garrafas de cervejas e mais uma boa quantidade de refrigerantes, bolos etc. Como donos da festa e anfitriões, era a nossa obrigação recepcioná-los bem. O jovem Marigilson e sua turma fizeram a festa ao pé do mastro. Finalmente o santo estava em seu lugar, finalmente devolvido mesmo que um ano depois, e em grande estilo. Após a parte religiosa, a radiola Ajax Som sob comando de Dida e Walmar, fez a galera dançar e beber até de madrugada.

Assim, se encerra a narrativa desta que foi uma bela história que pude vivenciar. Enquanto escrevia deu uma boa nostalgia daquela festa que ficamos responsáveis por fazer em 2012. Quem sabe, algum ano, não faremos outra!!? 



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Elinajara e Ana Creusa: As Divas na Rádio Timbira hoje.


Prezados leitores, ontem divulguei aqui nossa agenda de divulgação para o lançamento do livro Ecos da Baixada, segue o link: https://jarinhapereira.blogspot.com.br/2017/11/agenda-de-divulgacao-do-livro-ecos-da.html. Hoje o cronograma foi cumprido e os cronistas tiveram excelentes participações em todas as entrevistas, onde falaram muito mais que apenas do tão aguardado dia 14: um verdadeiro show de conhecimento histórico, geográfico, social dentre outros assuntos sobre a Baixada Maranhense foi apresentado e os ouvintes puderam conhecer um pouco mais sobre a nossa querida região.


Microfone de Rádio. Google Imagens
Daqui a pouco, às 20:00 hs, estarei na Rádio Timbira AM 1290, juntamente com Ana Creusa Santos, presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, para fazermos a divulgação do lançamento do Ecos da Baixada.
Acompanhe o programa Revista da Noite, com o locutor Roberto Ramos, às 20:00 hs, na Rádio pela frequência  AM - 1290 e pelo site http://radiotimbira.ma.gov.br/. Nós queremos ecoar muito mais que nas ondas do rádio, muito mais que nos jornais, muito além da TV: nós queremos ecoar dentro dos corações dos apaixonados pela Baixada, dessa gente que luta por ela, que sonha por dias melhores para ela e seu povo. Contamos com a participação de todos vocês.

Texto: Elinajara Pereira castro

É campeãoooo: Barcelona conquista o título em disputa de pênaltis contra o PSV em Pontal

O time do Barcelona venceu o campeonato ontem  (05/05) em Pontal após disputa nos pênaltis contra o time PSV, na grande final. Após  o emp...